domingo, 4 de junho de 2017

Ingestão ou injeção...?



Direto do MSN:

"Depois da guerra, os tempos eram difíceis para todos, incluindo os fabricantes de automóveis, em especial a Mercedes-Benz.Com suas portas de asa de gaivota e motor de seis cilindros com ingestão de combustível, uma novidade para a produção de carros, o 300 SL tornou-se um modelo emblemático em 1954. Mais do que qualquer outro modelo, o 300 SL permitiu que esta marca de luxo estabelecesse uma sólida reputação para o futuro."


A falta de conhecimento implica nesses deslizes.


Confira no link: http://www.msn.com/pt-br/carros/curiosidades/13-carros-que-salvaram-seus-fabricantes-da-falência/ss-BBBywVt?li=AAggXC1&ocid=mailsignout#image=2 


sexta-feira, 5 de maio de 2017

Parto forçado


Em editorial da Folha:
"A fórceps
Sob protestos e resistência de partidos governistas, reforma da Previdência avança na Câmara."

A fórceps nasce-se, sim.
Mas as marcas ficam.


domingo, 30 de abril de 2017

quarta-feira, 19 de abril de 2017

A vida imita a arte


A vida imita a arte.

Não é bem assim. No Brasil, a muitas décadas, e com ênfase nos últimos anos, a vida sobrepuja a arte.

Nem nos filmes e séries mais conturbadas onde as teorias de conspiração imperam, imaginou-se planos tão extensos, elaborados, às vezes mal executados, e nefastos para um país.

Dinheiro e poder mudando a cara do país, talvez o certo seja desfigurando o país.

Dinheiro em quantidades inimagináveis. No máximo pensaríamos em alguns milhares de reais, mas bilhões? E não é só em reais, vale tudo, dolares, euros, joias, obras de arte, automóveis, bebidas...

Eu fico perdido, e vocês?
A diferença entre 1 mil reais e 1 bilhão de reais? Fácil. Digamos que você consiga viver com 1 mil reais por mês, esqueça infração, com um bilhão você viveria por 1 milhão de meses; algo como 83.333 anos.
Mas quem quer viver tanto e com tão pouco não é mesmo? A vida é curta. Melhor mesmo é elevar para 1 milhão por mês e viver apenas 83 anos.

A corrida para o pote de ouro. Mas o ouro é de origem pública em sua maioria. "A roda da fortuna continua a girar e a ocasião faz o ladrão".

Li ainda no século passado que este milênio seria regido pelo dinheiro e poder, que segundo o autor eram atributos do próprio demônio. Se o sujeito não era um visionário, passou perto. Só podemos dizer "sai capeta". 
E quem não sucumbe a esse sistema insano corrupto e irresponsável, em  pouco tempo está fora por um motivo ou outro.

Dinheiro envolve poder e vice e versa. Os dois andam lado a lado, não necessariamente no mesmo nível, mas estão lá, seduzindo, incitando a cobiça. Dinheiro gera dinheiro, o mesmo acontecendo com o poder. 
Quem poderia imaginar que "representantes do povo" e alguns endinheirados jogariam o país à bancarrota somente para obter mais poder?

Talvez, o pensamento seja "se você está no inferno, abrace o capeta".

Em tempos de frases crichês dentro de textão a que mais representa os dias atuais talvez seja esta:
"O poder corrompe, o poder absoluto corrompe absolutamente".

A frase hoje, mais que em outros tempos tem um sentido assustador.




terça-feira, 7 de março de 2017

Até quando?


"Somos uma sociedade de linchadores, movida pela vontade de destruição do outro.
Não há mais espaço para adversários, só existem inimigos."

Saiu do texto de Eliane Brum
http://brasil.elpais.com/brasil/2017/03/06/opinion/1488822564_205808.html


quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Eita mundo que não acaba...


Com a chuva constante da semana passada pensei que o segundo dilúvio havia começado.

Estava torcendo para que fosse isso, mas já acabou. Voltaram o calor, os pernilongos e mosquitos.

O mundo está acabando, mas está muito lento. Se é para acabar que seja rápido. 

Mesmo porque a maioria vai para o inferno.


domingo, 22 de janeiro de 2017

A vida imita a arte

A imagem pode conter: texto

Página aberta aleatoriamente hoje, de um livro lido no princípio dos anos 80.

O livro: Zona Morta de Stephen King.

Nada é por acaso.


quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Que pito toca o Gilmar?

Saiu na Folha:

O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal) afirmou à Folha que o ministro Luiz Fux deveria "fechar o Congresso de uma vez e dar a chave ao procurador Deltan Dallagnol [da Lava Jato]".

O ministro reagiu à decisão de Fux que, por meio de uma liminar, determinou que a Câmara dos Deputados vote novamente o projeto anticorrupção que foi apresentado ao parlamento por meio de uma proposta de iniciativa popular.

A coleta de assinaturas à proposta foi liderada pelo procurador Dallagnol e apoiada pela força-tarefa da Operação Lava Jato.

"Ele [Fux] decidiu decidir pelo Congresso. Anulou uma votação que teve a participação de 400 parlamentares. E quer criar um novo rito de tramitação [das propostas de iniciativa popular] sendo que todas as outras, como por exemplo a da lei da Fichal Limpa, tramitaram da mesma forma", observa Mendes.

"É mais fácil então ele substituir o Congresso pela equipe da Lava Jato" segue. "Todos sabem que o projeto foi feito pela equipe da Lava Jato e quer atende a interesses de empoderamento dessa equipe. Fux então deveria entregar a chave do parlamento a eles", finaliza o magistrado.


sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Radicalismo (s) não !


Tenho observado nas redes sociais pessoas querendo a volta dos militares.

Certamente quem viveu aquele período de nossa história, que foi mal retratada nos livros, fica aflito ao ouvir esses pedidos. Ou não tem boa memória. Eu era pequeno naquele período, e para criança tudo é brincadeira. 

Se havia ordem (questionável isso) por outro lado havia pouco progresso.

Lembro que havia pouca liberdade...

Que havia censura...

Que havia esquadrão da morte...

Que haviam atentados e guerrilha.

Radicalismo para qualquer direção é uma temeridade e bom senso é a coisa que mais falta nesses períodos.



Ah...! Na segunda-feira passada, dia 5, na Marginal Tietê por volta das 20:00, vi duas carretas monstros do exército com veículos e aparatos militares... E nem estamos perto do dia 7 de Setembro.



sábado, 3 de dezembro de 2016

# Força Chape



"O resto é silêncio"

                             William Shakespeare



domingo, 27 de novembro de 2016

F1


O campeonato de F1 terminou com Hamilton ganhando a corrida e Rosberg em segundo ganhando o campeonato.

Final emocionante, por conta de Hamilton que usou uma estratégia antiesportiva para com o seu companheiro de equipe e rival neste campeonato.

"O alemão adotou uma estratégia diferente e, com pneus mais novos, passou Ricciardo e Verstappen nas voltas finais e colocou Rosberg em situação complicada, pressionando-o nas voltas finais, uma vez que Lewis Hamilton, deliberadamente e contra as ordens da equipe Mercedes, diminuiu o ritmo para expor o rival pelo título. O alemão, contudo, se manteve à frente de Vettel e garantiu o segundo lugar."   UOL

"Com o bom ritmo, as Mercedes conseguiram abrir o suficiente, fizeram a segunda parada mas, na parte final da prova, Rosberg passou a ter um ritmo mais forte que Hamilton e se aproximou perigosamente."   UOL




O texto da UOL na íntegra no link abaixo:

http://esporte.uol.com.br/f1/ultimas-noticias/2016/11/27/gp-de-abu-dhabi.htm

O Ministério da Cultura adverte...



Deixe eu entender.

O Ministério da Cultura, aquele que não era para existir, deixou o governo em saia justa?


segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Halloween



Epa epa epa... Que dia é hoje?




sexta-feira, 28 de outubro de 2016

O peru fugiu !



O peru de Natal destinado a engorda fugiu para o telhado.