sábado, 16 de junho de 2007

Guardião

.

.


Guardião


Deixa-me ser teu guardião.
Aquele que segura tua mão.
Aquele que te acalenta e protege.
Aquele que teus passos segue,

Quando o caminho é seguro.
E ao menor sinal de barulho
À sua frente anda.
Mas, tua vontade é que manda.

Por quê? Quero vê-la feliz.
Quero te servir, quero ser feliz.
Sou um guerreiro da luz.

E, se meu Eu não te seduz,
Ao menos para segurar a tua mão,
Deixa-me ser teu guardião.


J Carlos Favoretto
15 Dezembro 2000

Da serie: Musa

.

.

2 comentários:

Renatinha! disse...

Hummmm...

Sophia disse...

Lindo poema!

Não seria nada mal ter um Guardião só pra mim.

E como costuma dizer minha amiga Casti:

-"Olha a filaaaaaaaaaa!"

Beijo,