domingo, 21 de novembro de 2010

Entrega São Paulo

.

.

Vi na TV, que antes do jogo São Paulo x Fluminense, a torcida do São Paulo gritava para o próprio time entregar o jogo.

Mas que @$%##@@ de torcedores são esses? Um sujeito entrevistado ainda disse que, como o Corinthians entregou o jogo para o Flamengo no ano passado, o São Paulo deveria fazer o mesmo.

Lembrei de quando era pequeno, meu pai dizia "se todo mundo comer grama*, você vai fazer o mesmo?".

Onde estão a ética e a esportividade?

A gente sempre torce para algum time, mesmo em um jogo neutro. Mas torcer para o próprio time perder? 

Tenho minhas preferencias e critérios, pela ordem: o São Paulo (mesmo não me considerando um torcedor), um time paulista, um time brasileiro em competições internacionais, a seleção, uma seleção latina quando a nossa está fora... Critérios.

.

.

E o São Paulo perdeu de quatro... Quatro. Pode isso?

.

.

* Na verdade meu pai não dizia grama, era algo mais forte para impressionar...

.


quarta-feira, 17 de novembro de 2010

sábado, 13 de novembro de 2010

CRAZY



Crazy Gnarls Barkley
I remember when, I remember, I remember when I lost my mind
There was something so pleasant about that place
Even your emotions had an echo
And so much space

And when you're out there
Without care,
Yeah, I was out of touch
But it wasn't because I didn't know enough
I just knew too much

Does that make me crazy?
Does that make me crazy?
Does that make me crazy?
Possibly

And I hope that you are having the time of your life
But think twice, that's my only advice

Come on now, who do you, who do you, who do you think you are,
Ha ha ha bless your soul
You really think you're in control

Well, I think you're crazy
I think you're crazy
I think you're crazy
Just like me

My heroes had the heart to lose their lives out on the limb
And all I remember is thinking, I want to be like them
Ever since I was little, ever since I was little it looked like fun
And it's no coincidence I've come
And I can die when I'm done

Maybe I'm crazy
Maybe you're crazy
Maybe we're crazy
Probably



Roda viva

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Com o pé na senzala

.
.
No programa Clandestinos da rede Globo, em um de seus segmentos, o ator, candidato a ator em uma peça, baiano e branco, explicava que tinha sido criado por três mulheres negras todas com nomes de Maria. Ele explicava como foi acolhido pelas três. Uma das Marias o achou no Pelourinho, levou para a casa e o apresentou para as outras duas: "vejam que coisa mais branquinha que eu achei".
.
..."que coisa mais branquinha", e se fosse o contrário? ... "que coisa mais pretinha"... Seria preconceito não? Ou somente se elas falassem "que coisa mais negrinha"? O que é considerado preconceito e/ou racismo se aplicam somente em casos de afrodescendentes ou quando envolve outras etnias - raça não, porque somos todos da mesma raça acredito eu -caucasianos, orientais?
Boiei...
.
Mas o politicamente correto no caso do programa seria sofrível: uma das Marias afrodescendente encontra um bebê perdido no lugar onde escravos também afrodescendentes eram açoitados (vulgo pelourinho), o leva para casa e apresenta para as outras duas, "vejam que coisa mais caucasianinha que eu achei".
.
Ruim hein?
.
Em tempo, no programa, o candidato a ator foi tentar a sorte no Rio de Janeiro, porque na Bahia, atores baianos brancos não tinham vez...
.
.
Antes que eu seja apedrejado, uma de minhas tataravós era negra...
.
.

Good, good.

.
.
Estava lendo o tecla SAP a respeito de uma babysitter que chamou o patrão de Mr. Honey, veja aqui.
.
Lembrei de uma conhecida de minha tia que para tudo que ouvia respondia good, ela não entendia o que lhe falavam, mas por educação e ignorância respondia "good".
Ela foi convidada para um jantar em casa de pessoas desconhecidas, o anfitrião falava a respeito da morte da própria mãe, quando essa senhora saiu com "good, good". O jantar congelou...
.
.

domingo, 7 de novembro de 2010

sábado, 6 de novembro de 2010

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Resumo das eleições 2010

Image by Claudia Goetzelmann