quarta-feira, 30 de abril de 2008

Isso foi antes...


Imagem de Herba Churba


São Jorge II


Recebi da Ana.

Essa era a imagem que tinhamos em casa...

EU NÃO SEI TOCAR BERIMBAU!!!!!!

SALVADOR - O coordenador do curso de Medicina da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Antônio Natalino Manta Dantas, justificou o baixo rendimento dos alunos no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) como consequência do 'baixo Q.I [Quociente de Inteligência] - dos baianos.

Antônio fez a declaração na manhã desta quarta-feira (30), em entrevista a uma rádio de Salvador. Os alunos de Medicina da Ufba obtiveram conceito 2 no exame e, por isso, o curso entrou na lista dos 17 que serão supervisionados pelo Ministério da Educação.

O reitor da Ufba, Naomar Almeida, garantiu que a instituição adotará 'medidas firmes' com o professor. Ele, no entanto, não pôde adiantar o que, de fato, será feito.

Ainda de acordo com declarações feitas por Antônio Natalino, o suposto baixo Q.I dos baianos é hereditário e verificado por quem convive com eles. O professor ainda acrescentou: 'o baiano toca berimbau porque só tem uma corda. Se tivesse mais, não conseguiria'. Disse ainda que berimbau é instrumento de quem tem 'problemas cognitivos'.

O diretor da Faculdade de Medicina, José Tavares Carneiro Neto, discorda das declarações do coordenador do curso. Ele admite as dificuldades da faculdade, mas disse que desde 2004 vem lutando para resolver os problemas.

O professor Antônio Natalino não foi encontrado para explicar as declarações. O reitor Naomar Andrade acrescentou que, como educador, lamenta profundamente que a Universidade tenha uma pessoa com tais pensamentos fazendo parte da instituição.

'A Ufba, primeiramente, deve analisar as raízes dos problemas que provocaram o mal desempenho e não atribuir as falhas aos alunos ou à população, como fez o professor Antônio', disse Naomar. A Universidade Federal da Bahia deve emitir nota oficial até o final da tarde.

terça-feira, 29 de abril de 2008

São Jorge



Recebi essa imagem da Ro, via e-mail hoje. Com uma mensagem que agora não vem ao caso. Mandei para alguns conhecidos, o retorno como não poderia deixar de ser foi o mais díspare possível. Acho que é como a Berê diz, balões de ensaio.



Nós tinhamos a imagem de São Jorge em um quadro em casa, era iluminado por trás, ficava bacana quando ligado.



Não, não é idolatria, não é isso. Aquele quandro sempre me trouxe a idéia de bravura, de honra, de gente que não esmorece e vai a luta. Mais sobre ele aqui .




Assustador

Mendigo na Avenida Nossa Senhora de Copacabana - Hipólito Pereira/O Globo

BRASÍLIA E RIO - O morador de rua brasileiro é alfabetizado, tem atividade remunerada e na maioria das vezes não recebe ajuda do governo, segundo mostra uma pesquisa feita em parceria entre a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

Um dado que surpreendeu foi o índice de alfabetização: 74% dos moradores de rua entrevistados sabiam ler e escrever. De acordo com a pesquisa, 17,1% não sabem escrever e 8,3% apenas assinam o próprio nome.

O levantamento mostra, no entanto, que 63,5% não completaram o ensino fundamental - sendo que 15,1% nunca estudaram e 48,4% possuem ensino fundamental incompleto. O percentual restante se divide entre os que têm ensino fundamental completo (10,3%), ensino médio incompleto (3,8%), ensino médio completo (3,2%), superior incompleto (0,7%), superior completo (0,7%), não sabem informar (7,7%) e não foi informado (10,1%).

A Pesquisa Nacional sobre a População em Situação de Rua ouviu pessoas com mais de 18 anos que vivem nas ruas de 71 cidades com mais de 300 mil habitantes. ( Confira a contagem por município )

" O objetivo é conhecer as características da população "


Entre os entrevistados, a maioria (71,3%) disse que passou a viver e morar na rua por conseqüência de alcoolismo ou uso de drogas, desemprego e brigas familiares. Pela pesquisa, 79,6% fazem pelo menos uma refeição por dia e 19% dos entrevistados não conseguem se alimentar diariamente.

Os programas governamentais não alcançam 88,5% dos entrevistados, que negam receber qualquer benefício do governo. Do total dos entrevistados, 95,5% disseram não participar de nenhum movimento social e 61,6% não exercem o direito ao voto.

Sobre o fato de que a maioria dos moradores de rua não recebe Bolsa Família, a secretária-executiva do Ministério do Desenvolvimento Social, Arlete Sampaio disse que o programa talvez não seja o melhor instrumento para atingir esse público. Ela afirmou que um grupo interministerial estuda uma política para esse segmento. O programa Bolsa Família beneficia 2,3% do público pesquisado.

A maior parte da população em situação de rua no Brasil (70,9%) exerce atividades remuneradas, entre elas a de catador de materiais recicláveis, flanelinha, empregado de construção civil e de limpeza e como estivador (ajudante de embarque de carga nos portos). A maioria (52,6%) recebe entre R$ 20 e R$ 80 por semana e 15,7% têm a esmola como principal meio para a sobrevivência. No universo pesquisado, 27, 5 % dos entrevistados disseram que trabalham como catador de papel, 14,1% cuidam de carros e 6,3% atuam na construção civil. No entanto, 1,9% dos entrevistados confirma trabalhar com carteira assinada e 47,7% nunca tiveram trabalho formal.

Para secretária-executiva, dados surpreendem

Na avaliação da secretária-executiva, os dados da Pesquisa Nacional sobre a População em Situação de Rua surpreendem e acabam com alguns preconceitos como o de achar que a população de rua não trabalha. De acordo com a secretária, o objetivo do estudo foi mapear a população com 18 anos ou mais de idade, e não os menores de idade. Segundo ela, o governo já tem ações para combater o trabalho infantil e a exploração sexual de crianças e adolescentes.

- O objetivo é conhecer as características da população - disse a secretária

Foram identificadas 31.922 pessoas em situação de rua nas cidades pesquisadas vivendo em calçadas, praças, rodovias, parques, viadutos, postos de gasolina, praias, barcos, túneis, depósitos e prédios abandonados, becos, lixões, ferro-velho ou pernoitando em instituições (albergues, abrigos, casas de passagem e de apoio e igrejas).

A maioria das pessoas (69,9%) dorme nas ruas, 22,1%, em albergues e 8,3% costumam alternar. O principal motivo que leva os entrevistados a preferirem locais públicos para pernoitar é a liberdade, pois não há estabelecimento de horário de permanência nem proibição do uso de álcool e drogas.

A taxa de recusa dos entrevistados em responder ao questionário foi considerada baixa pelos pesquisadores - 13,4%. Desses, 36,6% disseram desacreditar que o levantamento possa beneficiá-lo, 18% não acordaram para responder, 14,3% estavam embriagados e 14% aparentavam transtorno mental.

Arlete Sampaio disse também que as cidades de São Paulo, Belo Horizonte, Recife e Porto Alegre ficaram fora do levantamento porque estudos semelhantes já haviam sido feito nessas capitais.

sábado, 26 de abril de 2008

Ficando velho

.
Certa vez, comentei com um amigo (quando ele ainda era amigo), que percebemos que estamos ficando velhos quando começamos a achar bonitinhas aquelas mulheres que até um tempo atrás diziamos que eram tiazinhas.
.
Mas hoje, acho que é quando você conhece mais nomes de remédios do que de amigas.
.
O próximo passo será esquecer de nomes e o que comeu no café da manhã (o que e não quem - mentes perversas).
.

A frieza de nossos dias sempre existiu

Fiquei vagando pelo passado após o post da noite anterior.

Como disse, o frio ainda não havia se infiltrado em nossos corações infantis. Mas a violência gratuita e a maldade, pelo que lembro, sempre estiveram presentes.

Lembrei-me de uma manhã gelada, lá pelos meus 6 anos de idade, tinhamos um viralatas branco de nome Dick, as casas não tinham muros naquela época. E o bicho zanzava pelos arredores a noite.

Nessa manhã, o Dick amanheceu todo ensanguentado, algum fdp o havia esfaqueado. Precisa ser muito ruim para se fazer isso. Não é um "privilégio" de nossos dias.

Morávamos em um bairro relativamente novo, sem asfalto, poucos ônibus, veterinário então nem pensar. Minha mãe me avisou o que iria fazer e eu ajudei. Agulha fina, linha de costura, material para desinfetar, e o Dick aguentou, tremendo, o cosimento de sua carne.

E por que não?

Invernos de outrora

Está fazendo um friozinho besta agora a noite, estou de sueter mas sem ligar o aquecimento de casa. Tem sido assim nos últimos dias, o Inverno se foi mas deixou ainda as noites meio que geladas, calor de 25C de dia e noites de 4 ou 5C.

Curiosamente, quando lembro de dias frios, me vem a mente Julho em férias lá pelos meus dez anos de idade, casas sem muros, frio cortante com vento e muitas pipas no ar.

Nunca fui bom com pipas, aliás nunca fui bom com nada que um um garoto fizesse naqueles dias, futebol (peladas no campinho), pião (cheguei a tê-los), bolinhas de gude, figurinhas (para bater figurinhas - um dia eu explico).

Mal começavam as férias, e o ar já estava carregado de pipas, era um prazer solitário, algo que ocupava o nosso tempo de maneira ingênua e inocente (antes das batalhas a base de cerol).

Era um frio que estava do lado de fora, ainda não havia invadido os nossos corações e mentes.

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Dirigindo em um país diferente

Estava indo para o trabalho hoje (ontem) e passei por um sujeito velhão com chapeu tipo cowboy mas feito de palha, dirigindo um Rolls-Royce conversível (Corniche). Pode isso?

Passei ainda por um carro funerário Cadillac, tenebroso, e fui ultrapassado por uma BMW serie 7.

Boa parte dos veículos são caminhonetes, caminhões (tamanho do F350) com enormes motores a gasolina, tração integral, usados como veículos do dia a dia, vans aos montes.

Ao mesmo tempo, vê-se carros totalmente comidos pela ferrugem, com portas amarradas pelos cintos de segurança, barras dos sistemas de suspensão desconectadas, muitos problemas mecânicos e elétricos. E por aí vai.

Como a maioria dos carros são com transmissão automática e outras facilidades, temos motoristas dirigindo com a perna esquerda dobrada sobre o banco, já vi alguns com o pé para fora na altura do retrovisor externo. Comendo, bebendo e usando o celular é uma constante. Senhoras de seus "oitentinhas" se arrrastando pelas ruas e estradas. Há pouco tempo, uma dessas senhoras entrou com o carro pela porta da frente de um hospital, matando o próprio médico e duas enfermeiras. Na loja que trabalho também, uma senhora não tão idosa não parou e acertou a parede do restaurante (é a segunda vez que a mesma parede é trocada no tempo em que trabalho lá).

Na sua maioria, um pessoal muito ruim de volante.

Herança maldita

Recebido por e-mail:



A HERANÇA MALDITA

Pronto. Agora são os paraguaios que vão enfiar as mãos em nossos bolsos, cobrando mais caro pela energia de Itaipu. Você não acha estranha a complacência com que Lula e seus companheiros tratam nossos vizinhos? Sempre que entramos numa pendenga com algum “hermano” a sensação é a de que o Brasil acaba cedendo. Não existe confronto.
E a explicação está sempre na ponta da língua: estamos resolvendo com negociações, nos damos bem com todo mundo, eles são pobrinhos e temos que ajudar etc etc etc.


Uma vez ouvi uma definição que se aplica ao caso: O Mercosul é um jantar entre amigos onde a Argentina escolhe a comida e o Brasil paga a conta.


Pois concluí uma coisa curiosa. Lula, Marco Aurélio Garcia, Celso Amorim, Tarso Genro, Dilma e outros caciques petistas, neopetistas, protopetistas e broncopetistas assumiram o poder na maior nação capitalista da América do Sul. Esses senhores foram educados pela velha cartilha socialista que demoniza os capitalistas, principalmente os Estados Unidos. Chamam os EUA de imperialistas. Dizem que qualquer movimento que os estadunidenses fizerem tem o objetivo de tomar as riquezas de outros países. Culpam o capitalismo pelo efeito estufa. Pela invasão de países indefesos. Pelas crises econômicas globais. Pela pobreza cultural. Pela fome no mundo. Não foi Lula quem outro dia passou um pito em George Bush, mandando que ele ficasse com sua crise por lá?


O discurso esquerdista desses senhores – que jamais abriram mão de desfrutar dos bens materiais do capitalismo – é manjado, repleto de clichês, envelhecido e apoiado em valores morais discutíveis, para dizer o mínimo.

Pois bem.

Outro dia eu me queixava para um de meus colegas das dificuldades que nós, brasileiros, encontramos quando vamos a reuniões nos Estados Unidos. A turma de lá sofre de “globalpia”, uma espécie de hipermetropia que faz com que só enxerguem de longe, sem conseguir ver detalhes. Acham-se os mais eficientes, os mais evoluídos, os mais inteligentes, os mais. E até entendo suas razões para pensar assim.
Toda vez que apresento nossos trabalhos naquelas reuniões, sinto-me como um índio botocudo diante dos MBAs de Harvard. Quando termino a apresentação já sei o que ouvirei:
– Good job Luciano! We are impressed!
Volto a meu lugar satisfeito com o elogio e a vida continua. Como antes. As nossas geniais idéias são esquecidas, as melhores práticas esnobadas e, por mais brilhantes que sejam nossas soluções, jamais são aplicadas. Afinal, o que é que um ianomani pode acrescentar ao “bizines”?
E então meu colega provocou:
– E se fosse uma reunião no Brasil e um boliviano ou paraguaio começasse a apresentar idéias brilhantes? Como é que nós reagiríamos?
– Elogiaríamos o índio e voltaríamos para nossas soluções sérias e geniais. Exatamente como os estadunidenses fazem conosco...
– Somos os imperialistas da América do Sul!

Pois é...
Os socialistassauros da turma do Lula sabem que nas reuniões com nossos vizinhos serão vistos como a elite burguesa, capitalista e exploradora. Sabem que todas suas atitudes serão recebidas como truques para tomar o gás, o petróleo, a energia, a terra, os alimentos e o dinheiro dos “pobres proletários explorados”...


Para os velhos esquerdistas a verdadeira herança maldita é o rótulo de capitalista. De imperialista. Daí uma das possíveis explicações para a generosidade com os vizinhos: é para aliviar o sentimento de culpa.


Inauguramos o “capitalismo com remorso”.

Tinha que ser aqui...


Luciano Pires
www.lucianopires.com.br

terça-feira, 22 de abril de 2008

Gente nutritiva

Recebido por e-mail:

Você já encontrou gente assim? “Nutritiva”? Perto da qual gosta de estar?
Alguns têm inteligência ou cultura acima da média, nos extasiando com seu saber. Outros são simples, com a cultura da vida, nos conquistando pela autenticidade e experiência.

Essas pessoas têm algo em comum: compartilham o seu saber.

São pessoas que nos dão energia. Estar com elas é como estar num time de craques: você acaba jogando bem.

Essas pessoas têm brilho nos olhos e entusiasmo na voz.

Agora pare e pense: você conhece gente assim?

Pois eu acho que todo mundo devia ser assim: NU-TRI-TI-VO!

Continue lendo o texto ou ouça o podcast.

Adão e Eva

Recebi da Eliana:

Um alemão, um francês, um inglês e um brasileiro apreciam um quadro de Adão Eva no Paraíso.

O alemão comenta: - Olhem que perfeição de corpos: ela, esbelta e espigada; ele, com este corpo atlético, os músculos perfilados. Devem ser alemães.

O francês contesta: - Não acredito. É evidente o erotismo que se desprende de ambas as figuras.. Ela, tão feminina... Ele, tão masculino... Sabem que em breve chegará a tentação... Devem ser franceses.

Movendo negativamente a cabeça, o inglês comenta: - Não! Notem a serenidade dos seus rostos, a delicadeza da pose, a sobriedade do gesto. Só podem ser ingleses.

Depois de alguns segundos mais, de contemplação silenciosa, o brasileiro declara: - Não concordo. Olhem bem: não têm roupa, não têm sapatos, não têm casa, tão na merda... Só têm uma única maçã para comer. Mas não protestam, ainda estão pensando em sacanagem e pior, acreditam que estão no Paraíso. Só podem ser brasileiros.

segunda-feira, 21 de abril de 2008

sábado, 19 de abril de 2008

Mundo político - Nada muda?

Os Abandonados e refugiados do Quênia
Os Abandonados e refugiados do Quênia

Dubai

Dubai: o paraíso dos arquitetos no deserto
Dubai: o paraíso dos arquitetos no deserto

Falcões

Falcões: belo espetáculo
Falcões: belo espetáculo

Recebido via e-mail

O texto completo aqui.

Você é o Palhaço!

Uma amiga comprou um nariz de palhaço. Vai andar com ele na bolsa. E a cada vez que estiver praticando uma ação honesta, vai usar. Chegou à conclusão depois dos últimos acontecimentos envolvendo a absolvição de Renan Calheiros; a falsificação do leite; a garota de 15 anos presa na cela masculina; os roubos em todas as esferas municipais, estaduais e federais; as notícias sobre corrupção por todos os lados... Essa enxurrada de baixarias faz com que nós, as pessoas que vivem uma vida honesta, nos sintamos fora da realidade. Parece que somos diferentes da maioria. Pois digo com todas as letras: não somos. Somos a maioria! Os ladrões, corruptos, desonestos, malandros e vagabundos são a minoria. Ouviu bem? Os tortos são a minoria!

Os tortos são a minoria. Mas diferente da maioria honesta, eles agem. Agem com velocidade, com inteligência, com planejamento. E tomam conta das posições-chave na sociedade que nós, os honestos, não queremos assumir, pois são atividades que consideramos “sujas”, moralmente questionáveis e até mesmo ilícitas. Quer ver? Você quer ser político? Quer que seu filho ou sua filha sejam políticos? Provavelmente não. E você justificará dizendo que não quer nada com gente desonesta. Você tem medo de ser corrompido. Tem medo de entrar no jogo e transformar-se num deles. Reflita. Lá no fundo, não é isso mesmo? Dize-me com quem andas e direi quem és? Pois é. Essa nossa negação em assumir um espaço que poderia ser nosso faz com que fiquemos nas mãos de gente que não tem problemas com a consciência. E só nos resta o nariz de palhaço...

.

Foi Platão, o filósofo grego, que mais de dois mil anos atrás disse que “Não há nada errado com aqueles que não gostam de política. Simplesmente serão governados por aqueles que gostam”.

Ecos

Ecos


Meu coração bate forte,
Forte,
Forte,

Meu coração sofre tanto,
Tanto,
Tanto,

Mas está sempre tão só,
Tão só,
Tão só,

Mergulhado em paixão,
Paixão,
Paixão,

Por um incompreendido Amor,
Amor,
Amor,



J Carlos Favoretto
14 Julho 2004

Da serie: Azul

Hoje só acredito no pulsar de minhas veias

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Grandes pesquisas que salvarão o mundo



Um grupo de pesquisadores conseguiu estimular o cérebro de moscas de frutas para fazer com que fêmeas agissem como machos.

"Parece que os machos e as fêmeas têm um equipamento neural muito semelhante, mas ainda assim eles se comportam de maneira tão diferente - somente os machos cantam, e somente as fêmeas respondem à música permitindo ao macho copular com ela. A grande questão é: por que e qual a diferença?", questiona Miesenboeck.
.
.
.
A grande resposta é: porque quem tem que gastar lábia é o macho, a fêmea se faz de difícil.
Ainda bem que não virei cientista!
Quer ler mais sobre esse assombroso, intrigante texto que irá mudar sua vida para sempre? Clique aqui.

Da série, olha a m... que eu fiz.

Que bom que tinha tanta água, porque ele se mijou todo!


quinta-feira, 17 de abril de 2008

Ora vejam só!!!!

Meus amigos sempre me apresentam coisas inusitadas. Essa veio da Lucila.


quarta-feira, 16 de abril de 2008

Antigamente haviam outros motivos...

O amor é lindo!



Quem diria... Tem que ver até o fim.

Sentado a beira do caminho







Pois é...
Sentado ou não, envelhece-se.

Christopher Walken sings Delilah

De uma conversa ao celular




- O papa está aí nos Estados Unidos.

- Eu vi uma notícia agora há pouco sobre isso.

- O Bush não é católico.

- Acho que esse papa também não é.

sábado, 12 de abril de 2008

Livro de recordes

.
.
Continuo quebrando meus recordes...

Achei na geladeira, um pote de ricota que venceu em Agosto de 2005.

Não sei como ele conseguiu se esconder durante tanto tempo. Não tem muitos lugares para
tanto.

Melhor que isso só Anne Frank.

.
.

Jogar a toalha?

"Quando um boxeur peso-pesado luta com todas as forças no ringue, de duas uma: pode ser nocauteado no décimo segundo assalto ou poupado antes pelo técnico, que “joga a toalha”. Como escritor, por toda a vida tentei não chegar a esta situação terminal. Mas cheguei, mesmo sendo peso-leve. E, como nessa minha área não existem técnicos, aguardei a contagem regressiva do juiz e beijo agora a lona. Digamos que eu mesmo esteja “jogando a toalha”. "


Veja o conteúdo completo aqui.
.
.

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Radicalismo é para quem aguenta.

.

Eu trabalhei em certa ocasião com um árabe, ficávamos no mesmo andar, mas éramos de setores diferentes.

Isso foi por volta de 1985. O pessoal saia para almoçar, e ele algumas vezes ia conosco.

Durante o periodo do Ramadã, ficava estressado e chato, orava em uma das pequenas despensas do andar. Certa vez sumiram com o tapete que usava nessas ocasiões. O sujeito queria matar um. Era radical.

Saimos para almoçar em um Sábado, ele um colega e eu. E o fdp resolveu falar de religião, falar tudo bem, discutir as diferenças, não. Mas a coisa começou a ficar quente; em certo momento ele me atacou com um "seu religion não ser um bom religion, ter muitos livros". P@$$#, eu ali tentando contornar a situação e o cara insistindo. Nessa época eu era mais boca dura, do jeito que vinha voltava:

"Como você pode falar mal de minha religião se nem sabe qual é?"

"É verdade, e qual ser seu religion?"

"Eu sou espírita!"

"Isso não ser religion".

Ficou uns seis meses sem falar comigo. A vingança é doce.

.

Quando o bife se rebela...

.
.
.

Imagem sem identificação do autor
.
.
.
Bonita foto, será digital ou filme?
.
.

Este mundo mudou, muito!!!!!!!!!

Funny video on Funnyplace.org - Pig

Homens e mulheres... Marte e Vênus.

Funny video on Funnyplace.org - Pig

Nããããããããããão

O melhor traseiro do Japão
O melhor traseiro do Japão

O que não se faz pelos filhos...

Funny video on Funnyplace.org - Pig

Easy

Funny video on Funnyplace.org - Pig

Os patrulheiros

Recebido do site Café Brasil
OS PATRULHEIROS

Recebi de um patrulheiro pelos direitos dos gays um e-mail ameaçando me cobrir de porrada. Afinal, escrevi que o Lacraia, que faz dupla com aquele ícone da MPB chamado Mc Serginho, era efeminado.
E os patrulheiros do PT? A cada vez que cometo a ousadia de criticar Lula ou seus companheiros, sou acusado de “preconceituoso” contra o humilde operário... Lula é um caso raro. Mais de trinta anos longe de um torno e levando uma vida de nababo continua “humilde operário”...
E os patrulheiros de “El comandante”? Vieram pra cima de mim, ferozes, quando insinuei que o regime político castrista é uma merda.
E o patrulheiro que trabalha numa fábrica de eletrodomésticos? Escreveu reclamando (é sério!) que ofendi os trituradores de lixo quando comparei a televisão com aquele precioso e tão útil equipamento.
Ah, teve também a advogada, ativista racial raivosa que me detonou quando chamei o Ministro Joaquim Barbosa de “negão”.
Mas um deles superou-se. Escrevi que fui com minha filha jogar veneno num formigueiro que estava destruindo nosso jardim e o cara acabou comigo. Era um ativista pelos direitos das formiga!.
Pois é... Ativistas. Militantes. Patrulheiros.

Comecei a pensar no assunto depois de ler duas notícias coincidentemente complementares. Primeiro sobre o lançamento do documentário “Simonal – Ninguém sabe o duro que dei”, de Claudio Manoel em parceria com Micael Langer e Cavilto Leal. O filme trata da carreira de Wilson Simonal, um dos maiores fenômenos da música popular brasileira. Tenho muitos leitores jovens, que desconhecem quem foi Simonal. Em vez de ficar falando, dou uma sugestão: vá até o Youtube, digite “Simonal” e procure a apresentação que ele fez ao lado da lendária diva do Jazz Sarah Vaughn em 1970. O endereço é este: http://br.youtube.com/watch?v=8Hc0FGmXONk .
Não é preciso dizer mais nada...

Simonal estava no auge da carreira, com seus trinta anos, quando descobriu que seu contador estava desviando dinheiro. Chamou uns “amigos” da polícia que deram uma dura no contador. Enquanto o sujeito apanhava, Simonal dizia algo como: “Toma cuidado comigo, pois sou amigo dos home!”. Ocorre que alguns dos policiais faziam parte do SNI – Sistema Nacional de Informação, a temida “polícia” política do regime militar. E a história se espalhou: Simonal, então, seria informante do SNI. O cantor, acusado de dedo-duro passou a ser patrulhado. Dezenas de músicos foram pressionados a não tocar mais com ele, que teve a carreira destruída em questão de dias. Simonal faleceu desgostoso aos 61 anos, em 25 de junho de 2000. Pouco depois os arquivos do SNI comprovaram que ele jamais foi informante da repressão. E a Comissão Nacional de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil reabilitou Simonal oficialmente em 2003.
Mas era tarde demais.

A campanha mais virulenta contra ele foi d’O Pasquim, o tablóide que marcou época no jornalismo brasileiro como peça de resistência ao regime militar dos Anos de Chumbo. O que nos leva à segunda notícia. O Ministério da Justiça acaba de autorizar o pagamento de uma indenização de mais de um milhão de reais e de uma pensão mensal vitalícia para os cartunistas Ziraldo e Jaguar, que dirigiam o Pasquim durante aqueles anos. A indenização é por prejuízos morais e financeiros causados pela censura e pelas prisões a que foram submetidos durante a repressão.
Millôr Fernandes, um dos fundadores do jornal, ao ficar sabendo, sacou esta: “Então eles não estavam fazendo resistência. Estavam fazendo previdência”.

Não pretendo discutir a legalidade ou moralidade da indenização. Quero apenas deixar no ar uma pergunta.
Quanto as patrulhas pagarão para a família de Wilson Simonal, a título de indenização por prejuízos morais e financeiros?
Ah, mas Simonal, como o jovem soldado que foi morto ou o sujeito que perdeu a perna no atentado a bomba dos ”revolucionários”, estava do “outro lado”. É “efeito colateral”.
Cega, a justiça não se aplica a eles.

Pronto! Virei patrulheiro.

Luciano Pires
http://www.lucianopires.com.br/
Quer mais? Visite o Café Brasil.

sábado, 5 de abril de 2008

A imagem que quase reproduz minha vida...


Quase, porque podem ser retiradas todas as palavras "play" após " work" e de quebra a palavra "retire".

É isso!

Vida simples é assim.

Reflexôes?

.
.
São aos Sábados que eu gostaria de estar "em casa"...
.
.

Posição para leitura confortável


Imagem by Jasper Johal

Você pode segurar uma lanterna com os pés caso a luz seja escassa.

Mais imagens de posições que eu nunca conseguiria fazer, aqui (havia escrito conseguirei, mas como nunca vou tentar...).
.
.

Ainda existe vida selvagem


Imagem de Ricahard Du Toit

Quando os olhos enganam...

Mais imagens em
Natures Best Photography 2007
.
.

Pinguins voadores

Funny video on Funnyplace.org - Pig

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Politicamente correto

UMA SENHORA ENTRA NUMA CONFEITARIA E PEDE AO BALCONISTA UMA TORTA 'NEGA MALUCA'.

O BALCONISTA DIZ À CLIENTE QUE USAR O NOME NEGA MALUCA, HOJE EM DIA, PODE DAR CADEIA, EM FACE DE:

LEI EUSÉBIO DE QUEIROZ;
ARTIGO QUINTO DA CONSTITUIÇÃO;
CÓDIGO PENAL;
CÓDIGO CIVIL;
CÓDIGO DO CONSUMIDOR;
CÓDIGO COMERCIAL;
CÓDIGO DE ÉTICA;
MORAL E BONS COSTUMES,
ALÉM DA LEI 'MARIA DA PENHA' ....

- ENTÃO, MEU FILHO, COMO PEÇO ESSA TORTA?

- TORTA AFRO-DESCENDENTE COM PROBLEMAS MENTAIS.
.
.
.
Eu fico aqui pensando, em um país onde quase todo mundo tem o pezinho dentro da senzala, chamar ou ser chamado de nego é motivo para cadeia.
E eu que tenho a mania de chamar quem conheço, independente de cor, de negão, como fico? Até japonês vira negão.
"E aí negão, tudo bem?"

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Você mente?

Tia Lilica postou sobre o dia da mentira.

Curiosamente, eu achava que isso se dava somente no Brasil, mas não. Aqui também e pelo que entendi, o lado Ocidental, pelo menos tem esse dia como um dia para piadas...

Mas falando de mentiras, quem nunca mentiu ou amenizou alguma situação?



- Eu estou feia?

1- Não. Bem, veja...

2- Você quer a verdade ou que eu seja educado?

3- Você não está feia. (em pensamento: 1-Hoje... 2-Você é feia... 3-Aiaiaiai, mentir é pecado).



- Doutor, quanto tempo eu tenho de vida?

1- Você não deveria se preocupar com isso...

2- Você quer a verdade ou esperança?

3- É melhor não se preocupar com o futuro.



quarta-feira, 2 de abril de 2008

Precisa ter peito para fazer isso!


Dinamarquesas ganham direito de nadar de topless


Foto: Creative Commons
Creative Commons
O uso de topless nas piscinas de Copenhague, na Dinamarca, foi aprovado pelo Comitê de Cultura e Lazer (Foto: Creative Commons)

Elas miraram-se no exemplo daquelas mulheres da Suécia – e venceram. Desde o dia 27 de março, as mulheres de Copenhague, na Dinamarca, têm permissão para nadar e passear pelas piscinas públicas da cidade sem a parte de cima do biquíni.

A "vitória do topless" acontece quase quatro meses depois que o movimento "The Topless Front" foi criado em Copenhague para defender que os seios não sejam vistos simplesmente como objeto sexual. Segundo o site "Daily Mail", a mobilização foi influenciada pelo "Just Breasts", que nasceu na Suécia mas ainda não conseguiu aprovação judicial para garantir a liberdade de suas mulheres.

As mulheres envolvidas esperam que o ideal ganhe a simpatia de outros países da Europa, como o Reino Unido. A resistência, por enquanto, não vem de conservadores religiosos, mas de salva-vidas. Eles alegam dificuldades "de procedimento" na hora de resgatar mulheres que estiverem sem a parte de cima do biquini.

Nadar de topless...

Essa mistura de idiomas é muito esquisita.

Buracos negros

Descoberto o menor buraco negro já visto

WASHINGTON (Reuters) - Cientistas da Nasa, a agência espacial norte-americana, identificaram o menor buraco negro já encontrado - com menos de quatro vezes a massa do nosso sol e do tamanho aproximado de uma cidade grande.

Mas o "buraquinho negro", batizado de J1650, seria capaz, com sua atração gravitacional, de esticar uma pessoa até a dimensão de um fio de espaguete, disseram cientistas num evento em Los Angeles.

"Este buraco negro está realmente alterando os limites. Durante muitos anos os astrônomos quiseram saber o menos tamanho possível de um buraco negro, e esse carinha é um grande passo adiante em resolver essa questão", disse nota assinada por Nikolai Shaposhnikov, do Centro Espacial Goddard, da Nasa, em Maryland.

É possível que esse seja mais forte do que outros buracos negros encontrados no centro de galáxias. Todos eles, porém, foram formados por uma estrela que "apagou" devido à falta de combustível, desabando por causa de sua própria gravidade.

(Reportagem de Maggie Fox)

É ou não é para se pensar besteira com uma chamada dessas?

Quimeras - Quando o homem brinca de Deus.

RIO - Cientistas da universidade britânica de New Castle anunciaram, na terça-feira, a criação do primeiro embrião híbrido, desenvolvido a partir de DNA humano introduzido em um óvulo de vaca, no Reino Unido. O país vive um intenso debate sobre a questão, que será discutida no Parlamento, no mês que vem, durante a votação da lei que regulamenta estas pesquisas. O trabalho com as chamadas quimeras é permitido no Reino Unido desde o ano passado, mas é necessária uma autorização do órgão responsável. Os pesquisadores da universidade de New Castle, liderados por Lyle Armstrong, foram os primeiras a conseguir a aprovação de suas pesquisas, junto com o grupo da King's College London.

Cientistas afirmam que os embriões híbridos oferecem uma importante oportunidade para produzir células-tronco, usadas em estudos e destruídas em seguida. A Igreja Católica se opõe a este tipo de pesquisa porque considera um ataque contra os direitos humanos que pode gerar "aberrações".

Aline Polycarpo / Criação O Globo Online
A pergunta que não quer calar: se o embrião se desenvolver, sua mãe será uma vaca?

terça-feira, 1 de abril de 2008

Sem avisar...

SE VOCÊS PENSA QUE NOIS FOMOS EMBORA
NÓIS ENGANEMOS OCÊS
FINGIMO QUE FUMO E VORTEMO
OI NÓIS AQUI TRAVEIS

SE VOCÊS PENSA QUE NÓIS FOMOS EMBORA
NÓIS ENGANEMOS OCÊS
FINGIMO QUE FUMO E VORTEMO
OI NÓIS AQUI TRAVEIS

NÓIS TAVA INDO TAVA QUASE LÁ
E ARREZORVEMO E VORTEMOS PRÁ CÁ
AGORA NÓIS VAI FICÁ FREGUEIS
OI NÓIS AQUI TRAVEIS