terça-feira, 26 de maio de 2015

Derrubaram a criança



Derrubaram a criança aqui .

quinta-feira, 21 de maio de 2015

50%



Está difícil continuar comprando revistas no Brasil.

Vejam este caso: a revista tem 92 páginas; 16 páginas de página inteira com propagandas diversas, 12 páginas de página inteira da PETROBRAS, 18  páginas de um "especial Educação" do governo do Estado de São Paulo. É só abrir a revista e contar.
Quarenta e seis páginas em noventa e duas são exatamente 50% da revista sendo apresentada em propaganda.
Propaganda paga. Publicidade, E eu paguei por isso...
Comprei uma revista especializada, queria informações pertinentes ao setor. Não interessam 12 páginas da PB para dizer que sua gasolina é a melhor - meia página seria o suficiente - ou as 18 páginas bancadas pelo governo do estado, neste caso poderiam colocar a informação que os professores devem estar odiando em qualquer jornal de circulação diária.
No Sábado passado foi o mesmo com uma revista de motocicletas, 46 páginas em 100. Compro a revista há 38 anos e vou parar. Não somente pela publicidade paga, está parecendo revista voltada a pré adolescentes. Cansei.
E não é somente no setor automotivo. Boa parte das publicações está assim, mínimo de informações, mínimo de opiniões inteligentes, máximo de publicidade e mesmice.
E dizem que os livros são caros no Brasil. Vou continuar com os livros, ao menos posso xingar o autor, o editor e alguns colaboradores.


domingo, 10 de maio de 2015

A praça



Hoje foi o "Especial dia das mães - com exorcismo" na igreja evangélica do outro lado da rua...

Começaram cedo, por volta das 8 horas. Quando sai para o almoço na casa de minha mãe perto das 13 horas eles ainda estavam lá, no megafone.

Tenho receio de quando morrer e for conversar com Deus. Do jeito que o pessoal grita e desafina do outro lado da rua, só pode significar que Ele é surdo, ou talvez tenha ficado, com a gritaria. E eu? Será que Ele irá ouvir a minha voz? E minha mulher que fala super baixo?

A gritaria dá medo, imagino que os demônios exorcizados sejam jogados porta afora, indo parar na praça em frente ao culto, por acaso, do lado de minha casa...

Talvez seja por isso, que tem tanto restos de despachos na praça, que por essas entregas em lugar inapropriado - não é mata fechada, é uma praça - ocorre um ajuntamento de ratos e pombas.

A coisa é seria, exorcismo evangélico + despachos mal feitos e em lugar inadequado = quantidade de almas desgarradas em ritmo crescente. Criou-se um círculo vicioso. Isso deve estar afetando meus vizinhos... Só pode ser essa a razão para o que anda acontecendo no entorno, pois eles, os vizinhos, estão jogando lixo e entulho na praça. O serviço de limpeza, por sua vez, não recolhe o lixo. Ontem flagrei o vizinho da frente á 1 h da manhã atravessando a rua com um saco preto e abandonando-o atrás de uma rocha.  Deve ser encosto.











quarta-feira, 6 de maio de 2015

Quando eu morrer não quero choro nem vela...



Autoridades chinesas querem pôr fim ao hábito de contratar strippers para animar funerais.

Para entender melhor clique aqui .


E no Brasil vale?




segunda-feira, 4 de maio de 2015