sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Pasmaceira

.
.
Setores importantes da economia brasileira têm enfrentado muitas dificuldades para contratar trabalhadores bem preparados. As soluções que essas empresas encontraram estão na reportagem de Tonico Ferreira.

Abaixo trecho da reportagem:

" O auditor inglês Paul Sutcliffe trocou Londres por São Paulo. Especialista em padrões internacionais de contabilidade, foi importado por uma firma de consultoria que não encontrava um brasileiro com a mesma qualificação. “Às vezes é difícil, porque sempre tem muito trabalho, mas também tem um lado excelente porque você está sempre sendo desafiado”. A empresa já importou 37 estrangeiros e eles não vêm atrás apenas de bons salários. "

Abaixo trecho de outra reportagem do mesmo jornalista:

A indústria brasileira está de portas abertas para os trabalhadores. Em muitos setores, as portas estão escancaradas. Mas, ainda assim, ninguém entra. Qual é o problema? O repórter Tonico Ferreira tem a resposta.






Realmente é difícil, há anos o Brasil, leia-se governo/setor empresarial, não investe em seu potencial humano, ficando a cargo do próprio profissional a atualização de suas habilidades e conhecimentos. Não houve e não há, um direcionamento, um aconselhamento e outros "entos" para a formação e complementação desse conhecimento.

Há alguns anos atrás, as empresas investiam no pessoal, proporcionando MBA para alguns, de um tempo para cá: "nível superior, MBA (por conta da pessoa), conhecimento em especificações cheias de siglas que nem mesmo as vezes esses profissionais conhecem, com um salário ínfimo.

Recebi um anúncio de vaga, para engenheiro mecânico especializado em locomotivas diesel-elétricas com conhecimento em circuitos eletrônicos e blábláblá... Tudo que eu pensei na hora foi: PQP.

Não duvido da necessidade de obter profissionais, já vi isso acontecer em 85, havia uma escassez de pessoal qualificado, culpa do mesmo processo que nos levou a esta "crise de mão de obra" de hoje. Levaram uma leva de argentinos, chilenos e outras pessoas oriundas da América do Sul para as empresas de engenharia. O pessoal chegou com o salto alto, esnobavam a nós, que éramos "de casa".

Agora leio as reportagens do JN dos últimos dias... Isso dói. Como se em um passe de mágica, descobriram que não existe gente qualificada suficiente... Ahhh que pena! E precisam levar gente de fora, com um salário superior ao que pagariam para um brasileiro com a mesma qualificação, CASO HOUVESSE...




Há cerca de 10 anos atrás, as empresas leiloavam os trabalhos, quem cobrasse menos para fazer um projeto ou obra ganhava a concorrência. Seria o normal, mas o caso é que isso era feito sem critério sem o menor pudor ou ética, como havia pouco trabalho no mercado e algumas empresas de engenharia/montagem estavam no vermelho e no desespero, acabavam pegando o serviço já no prejuizo, com o valor da obra abaixo do necessário para cobrir as despesas - o pensamento na época era "melhor pingar que secar" - o resultado foi uma quebradeira geral.

Era comum uma obra ser colocada para concorrência somente com a engenharia básica, o detalhamento ficava a cargo da montadora, que deveria colocar pessoal para esse nível de trabalho - a qualidade caiu muito nesse período. Isso matou nossa engenharia e montadoras.

Paralelamente, as empresas de materiais e mão de obra, sofreram juntas; uma grande parcela da população que dependia direta ou indiretamente desse segmento foi penalizada.

Houve uma debandada geral do meio, quem estava na época de se aposentar optou por isso, outros caíram fora (leia-se: foram obrigados a), uma leva de profissionais mudando de área, saindo do país (conheço dois engenheiros que estão aqui, fora eu mesmo)...

E agora essas reportagens tipo "OHHH, VOCÊ VIU O QUE ESTÁ ACONTECENDO?"
.
.
.
.
.
EM TEMPO, O JORNALISTA TONICO FERREIRA NÃO TEM RESPOSTAS PARA O QUE ESTÁ ACONTECENDO.

Eu fico com uma sensação de falta de respeito e traição nisso tudo.

Acho que estou ficando velho.
.
.
.

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

A imponência da paisagem




Новые работы фотографа Ben Heys (Ассорти) (54 фото - 6.23Mb)

Imagen de Ben Heys


Consegue ver a vila na foto acima?.

.

E eu só queria ver um filme

.
.
.
"...é mais regra que exceção as pessoas lerem o mesmo livro de formas diferentes, a ponto de se dizer que quem escreve é o leitor. Ou seja, é o mesmo livro mas não é o mesmo livro! Sei que é esquisito, paradoxal. Mas, não fosse assim, teria a arte graça e amplitude? Se todos pensassem o mesmo e tivessem as mesmas emoções suscitadas, a arte seria digna desse nome?"

Isso saiu de uma serie de textos de gente conhecida a respeito do filme Batman, vale a pena conferir. Clique aqui.
.
.
.

O importante é não perder a pose

Funny video on Funnyplace.org - Pig

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Eclipse

.

.

Eclipse


Uma experiência sem igual,
Observar um eclipse total.
Com as sombras chegando,
A escuridão tudo engolfando.

Perdem-se as referências,
O corpo reage em seqüência.
Era dia, agora noite,
Ainda dia e também noite.

Das experiências vividas,
Esta é única em uma vida,
Pela sua curta duração,
E intensa sensação.

Certos amores são como eclipses totais.
Não são comuns, não são normais,
Breves momentos para sabê-los,
A vida inteira para esquecê-los.


J Carlos Favoretto
27 Julho 2004


.

.

,

terça-feira, 26 de agosto de 2008

domingo, 24 de agosto de 2008

Eu não entendo esse povo

.
.
Hoje eu me dei conta de uma coisa, não ouvi ninguém, absolutamente ninguém falar nos jogos olímpicos, nem mesmo os chineses que trabalham comigo...
.
É como se as coisas acontecessem em Alfa Centauro. é muito longe e não nos diz respeito. Mas mesmo o que lhes diz respeito não tira uma palavra desse pessoal. Lembram-se do ônibus espacial que explodiu? Ou, catástrofe das catástrofes, o 11 de Setembro.

Tá certo foi "longe", lááááá em New York, mas
p@$$4 os aviões partiram aqui de Boston... E nada.

Será que só nós gostamos de uma fofoquinha...? Não, isso não. Para fofocar o pessoal é bom demais.
.
.

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Pequim 2008

.
.
.

.
.
.
Imagem de Kari Kuukka
.
.
Devidamente surrupiada de PicturaPixel.
.
.

E aí veado?

.
.
Sofri muito com amígdalas inflamadas até os sete ou oito anos de idade.

Lembro que meu pai ia até a Botica ao Veado d'Ouro buscar um remédio artesanal - picaconha, tomava aquilo com leite quente. Era o leitinho, branquinho quentinho. Apesar de meu olfato e paladar serem uma m... muito ruins, ainda lembro do aroma daquilo.

Direto da Wikipédia:

A botica Ao Veado d'Ouro foi inaugurada na rua São Bento, em 1858, pelo farmacêutico alemão Gustav Schaumann. Na época, a cidade de São Paulo possuía cerca de 30 mil habitantes, porém, havia apenas três dentistas, doze médicos, quatro farmacêuticos e um oculista.
Em 1879, aos 23 anos, Henrique Schaumann assumiu o controle dos negócios da família. Ele havia estudado em Hamburgo, na Alemanha.

Mas mudando de assunto, se os dados não estiverem errados, dá para imaginar São Paulo com 30.000 pessoas e somente 150 anos atrás?
.
.

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

O Papa tá negão

.
.
Eu trabalho com o Papa há mais de cinco anos, um chinês de uns sessenta e poucos anos. Temos um entendimento meia boca por conta do nosso Inglês, mas é suficiente para sabermos com quem podemos contar.

Ele esteve na China por um mês, voltou nesta semana e eu o vi ontem. Quando o vi, o chamei alto, PAPAAAA.

Naquela de como foi, tudo bem? Ele disse que estava muito quente por aquelas bandas e me saiu com essa "olhe para mim, estou negão" - traduzindo livremente o seu sentimento.

E não é que o homem está mesmo com aquele bronzeado escuro de praistas?
.
.

sábado, 16 de agosto de 2008

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Bienal do Livro


A Bienal Internacional do Livro de São Paulo chega à 20ª edição comemorando os 200 anos da indústria do livro no Brasil, introduzida com a chegada de D. João VI e a família real portuguesa, em 1808.
.
.
Mais informações aqui.
.
.
.

Amy




Ou em outra versão aqui.

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Ontem e hoje




Caindo de boca

.
.
Coisas que me incomodam quando abro algum site ou portal: as chamadas comerciais que teimam em ficar piscando enquanto tento ler o texto.

Uma dessas me chamou a atenção:


"Procurando o amor de sua vida?
Quem combina com você?
O nosso site lhe diz"
Acesso à felicidade por apenas R$69."

Você nem conhece a pessoa e já começa com 69...

.
.
.
.
.

Como nos ensina um provérbio russo:
.
“Não amamos as pessoas porque elas são bonitas, mas nos parecem bonitas porque as amamos”.
.
.

A-ha again

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Teoria da conspiração



Estou tentando não pensar em nada ultimamente para não dar a chance de ser taxado como reacionário...

Leia-se: puro ócio improdutivo. Meu cérebro está a deriva. Falta de fosfato talvez.

O resto do corpo acompanha a atividade cerebral, cansaço, muito cansaço.
.
.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

O melhor amigo do homem

Riding with the wind / Viajando com o vento by Frederico Mendes.

Imagem de Frederico Mendes


"Cães têm uma capacidade especial de ler a comunicação humana".

Para os pesquisadores, estes resultados constituem uma primeira evidência de que cães têm capacidade de estabelecer empatia com humanos.

Os resultados do novo estudo sugerem que a empatia entre espécies é outro traço que pode explicar as razões para a longa relação dos cãezinhos com seus donos.

A notícia aqui.



Esses pesquisadores nunca tiveram um cachorro em casa.
.
.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Limite de memória RAM para o Windows

Por que?



Quando uma mulher veste um vestido de couro,

o coração de qualquer homem dispara e sua garganta fica seca,

suas pernas bambeiam e ele começa a perder seu auto-controle.

Você sabe por quê ?




É porque ela fica com cheiro de carro novo!!!


.


.

sábado, 2 de agosto de 2008

Bora gente...

.
.
Calor daqueles por aqui...

Há quanto tempo eu não vou em uma praia?

Já perdi a conta...