sábado, 10 de maio de 2014

Poucas palavras


Há exatos seis meses, fiquei a sós com meu pai como há muito não fazíamos.

A "conversa" foi muda, como na maioria das vezes em que estávamos juntos. A maior parte de nossos encontros na vida foram dessa maneira, quase que sem palavras.

Aprendi na maior parte do tempo, observando. Foi assim no cotidiano, na manutenção da casa, dos carros, para aprender a dirigir e mesmo na decisão de seguir uma profissão.

Fiquei mais de uma hora a sós com ele, observando aquele homem que me orientou falando pouco, meu pai.

Hoje, tomei coragem e voltei ao cemitério para uma visita.



Nenhum comentário: