domingo, 18 de outubro de 2015

Domingão


O dia começou difícil... Horário de verão.
Fui até a padaria e fui atropelado... Parcialmente, por um carro a toda andando de ré.
Eu disse ré e não Rá. Se fosse Rá, talvez eu tivesse visto um clarão e não atravessasse a rua.
O piloto de Domingo saiu do estacionamento da padaria e resolveu alcançar a esquina dirigindo de ré. Só percebi o que aconteceria quando ouvi o motor a toda. Meio metro a mais e eu não estaria digitando. Foi o suficiente para apoiar as mãos na lateral da coluna traseira do carro e me empurrar, mas os braços sobraram para levar o impacto do espelho e coluna dianteira.
O esperto motorista parou a vários metros de distância de mim, tamanha a velocidade que conseguiu, só gritou que não me viu. Eu xinguei e sai do meio da rua, estava em local vulnerável. Entrei na padaria, onde vários clientes viram o que havia acontecido. O esperto, obviamente, sumiu; melhor assim, se o visse, a coisa não terminaria muito bem. Só aí é que comecei a sentir as dores no braço. Machucou.
Da próxima vez vou fazer o de sempre, olhar para os dois lados, olhar se lâmpadas de ré estão ligadas e também olhar para cima, poderá estar caindo algum avião.



Nenhum comentário: